sábado, 22 de novembro de 2008

Mais um

E antes que o dia comece, já vem mais um... não sei de onde essa inspiração de escrever coisas bobas tem me saído ultimamente. Aliás, acho que sei.


O PESSOAL E O GRITO

O pessoal nunca tinha visto
Uma coisa assim
Assim leve, assim boba, assim forte, assim louca
Assim como se o vento pudesse levar
Mas também, como se o fardo não se deixasse carregar
Dá pra entender?

O pessoal achou que era uma voz
Mas não era não.
Era como se fosse um grito na multidão
Que ninguém sabia exato de onde saiu
E na hora que gritaram, ninguém viu.

O pessoal então se intrigou.
Por que gritar se quem ouvir
Não lhe vai encontrar?
Quem gritaria do alto
De uma enorme melancolia nostálgica
Estando lambuzado de glórias de viver?
E que tão curta vida ainda!

O pessoal parou de pensar.
Porque o grito-voz ressurgiu
E encantou a todos que estavam por lá.

Um comentário:

Exausto disse...

O grito não deve ser represado.

Mas represado, não deve.

Devo, não nego. Pago quando não mais puder.